terça-feira, 20 de março de 2012

A Farra

Tantos se revelam
Outros se rebelam
Enquanto, muitos, à mão miúda
Retiram a essência
Perpetuam a dor

Tantos se revelam
No escuro
Tamanha a impunidade
De um mundo obscuro

Do outro lado
A vontade de fazer
Com meios tão escassos...
A lágrima corre diante da dor

Muitos se doam
Compartilham o sofrimento
Enquanto o ralo leva
A esperança da solução

Muitos se revelam
Enquanto outros se rebelam
Novamente tudo será esquecido?
A minha dor não silencia
Chegou a hora de gritar
A farra precisa acabar!!!

Nenhum comentário: