terça-feira, 28 de julho de 2009

Dama da noite

Quero sair...
Buscar novas entranhas
Buscar o tudo,
Sentir o nada.
Andar de madrugada
Falar sozinha
Pintar o muro
Mudar de lado
Sentir a dama da noite
Tomar o vinho,
Olhar o infinito
Buscar você...
Deixá-lo livre.
Deixar-me de lado
Jogada no sofá
Envolta aos pensamentos
Às tormentas,
Às poesias,
Ao silêncio,
Às canções,
Às cores.
Sentir o corpo trêmulo, ardente.
Depois sair para o nada
Olhar as montanhas,
Deitar no pasto.
Esquecer a multidão, os compromissos,
Jogar fora as esquisitices,
Depois acordar revigorada !
Quanto ao resto e mais um pouco ...
Deixá-los passar.

Um comentário:

Mario disse...

Adorei! Beijos!