sexta-feira, 4 de março de 2011

Tatiana e seu emaranhado!

Tatiana é uma moça muito bonita. Morena, 23 anos, 64 Kg, 1,70 m de altura - um verdadeiro avião. Tem os cabelos lisos, pretos e super bem cuidados. Sua pele é limpa, sem sinais de acne tão comum nos jovens, olhos esverdeados. Muito vaidosa. Passa horas cuidando dos cabelos, unhas que mantem sempre cutiladas e pintadas. Gosta de se vestir como uma princesa. Seus pais, na medida do possível, procuram presenteá-la com roupas, adereços, bolsas e sapatos da moda.

Ela mora com os pais e dois irmãos em Caxias, na baixada fluminense. Terminou o ensino médio, mas não conseguiu passar no vestibular para educação física. Seus pais não puderam pagar uma faculdade particular. Diante desse cenário se inscreveu em um curso de secretariado e logo após o seu término foi chamada para uma entrevista para o cargo de recepcionista de um hotel na zona sul do Rio de Janeiro.

Foi entrevistada por um senhor, muito distinto, de mais ou menos 50 anos. Já saiu da entrevista tendo a confirmação de que a vaga era sua e que deveria iniciar no dia seguinte. Ela percebeu que sua beleza foi fundamental na confirmação da colocação. O entrevistador a elogiou várias vezes, em especial os seus cabelos, que estavam como sempre bem escovados, lisos e com um brilho que irradiava à distância. No final da entrevista soube que o senhor Osvaldo, o entrevistador, seria o seu chefe imediato.
Ela ficou contente em saber, pois ele pareceu ser muito educado, elegante, muito profissional. Saiu da entrevista em êxtase, não só porque conseguiu um emprego, mas pelos elogios recebidos.

Para voltar para casa, pegou um ônibus da zona sul para a Central do Brasil e de lá, um outro para Caxias. Sentou-se em sua cadeira e olhando pela a janela... começou a fazer planos com o salário que iria receber: primeiramente, compraria alguns itens para substituir os que ainda faltavam em seu guarda roupa, depois um presente para os pais e irmãos - pensou em uma televisão nova para assistirem com maior nitidez a próxima edição do big brother. Quanto ao retorno aos estudos... pensaria depois, sabe como é, precisava descansar, afinal foram anos e anos de estudo.

Como a tarde estava muito quente, todos os passageiros do coletivo viajavam com as janelas abertas para o ar circular e assim, amenizar o calor. Ela viu que o termômetro lá na Central marcava nada mais, nada menos que 39 graus. Um verdadeiro inferno!

Durante todo o trajeto pensava no que iria vestir no seu primeiro dia de trabalho. Uma coisa estava certa: tinha que arrasar no visual! Pensava também no que iria fazer com o seu salário.

À sua frente, na cadeira do ônibus, estava um casal. A mulher sentada próxima à janela e o homem ao lado da mulher, próximo ao corredor. O banco ao lado de Tatiana permaneceu vazio durante todo o trajeto. Em determinado momento da viagem ela percebeu que o rapaz tirou algo da boca e jogou pela janela. Enquanto isso, Tatiana permanecia em seus devaneios.

Ao chegar ao centro de Caxias, no ponto final do ônibus, desceu e passou a perceber que muitas pessoas olhavam para ela, o que não era incomum. Ela era uma morena de parar o trânsito, como se diz por aí!!

Andou três quarteirões até chegar em casa. Entrou e foi até a cozinha contar a novidade para sua mãe, que se manteve estática, enquanto ela falava sobre o acontecido. De repente, Tatiana percebeu que algo estava errado e perguntou:

- Mãe, o que está acontecendo?
- Por que está me olhando desse jeito?

A mãe, depois de engolir seco, disse:

- O que aconteceu com seu cabelo, minha filha?

Ela, sem entender nada disse:

- Nada mãe. Não fiz nada. Ele está como sai de casa hoje pela manhã. Acho até que consegui a vaga de emprego por causa dele. O seu Osvaldo, meu chefe, elogiou muito os meus cabelos!

Então, a mãe disse:

- Vamos ao banheiro para que possa ver o que aconteceu com os seus cabelos.

Ao chegar em frente do espelho, Tatiana desmaiou. Sua mãe a segurou e gritou pedindo ajuda ao outro filho.

Levaram Tatiana para o quarto e colocaram amônia para ela cheirar. Tatiana acordou e começou a chorar copiosamente. Sua mãe e irmão tentavam consolá-la.

Infelizmente, Tatiana precisou cortar a sua cabeleira. Tentaram várias medidas para evitar tal radicalismo, todas em vão!

Tatiana ficou calada, triste, desde então. Não saía do seu quarto. Não retornou no dia seguinte para o primeiro dia de trabalho no hotel.

Seus planos foram emaranhados em seus cabelos e definitivamente jogados no lixo, juntamente, com o chiclete que foi atirado pelo rapaz ... lá no coletivo, mas que saiu pela janela da frente e voltou para ônibus, pela janela em que estava Tatiana, formando um emaranhado sem tamanho em seus cabelos e em seus sonhos, que por ora, enquanto não crescessem, ficariam depositados em um Lixo Extraordinário dessa nossa cidade.

Um comentário:

Magrinho disse...

Tatiana, vou querer vc assim mesmo sem cabelo.
obs.: Te dou algumas aulas particulares.
heheehheh